Seja a pessoa que você deseja ser!

Seja quem você quer por perto

Hoje, após finalizar a leitura do livro Cartas de amor aos mortos ( resenha em breve), me peguei refletindo sobre uma pergunta que me ronda há tempos… Somos quem queremos ser? Somos quem estamos destinados a ser? Entristeço-me quando penso saber a resposta! Não, não somos…

Vivemos em uma sociedade baseada na aparência, vivemos de máscaras e só deixamos que saibam o que queremos que as pessoas saibam. Esquecemos que somos humanos, portanto, falhos. Tentamos ser perfeitos, mas não pra nós mesmos, pois cada um sabe do que é capaz, cada um de nós conhece o demônio que nos habita. Somos obrigados a fazer escolhas, muitas vezes pensamos estar no controle, mas analisando mais profundamente, constatamos que podemos fazer escolhas limitadas, que escolhemos dentre possibilidades mínimas e isso vêm desde a infância, já crescemos sabendo o caminho que “devemos” trilhar. Somos treinados a sermos bem sucedidos em todas as áreas da vida e caso alguém se desvie desse caminho logo é crucificado.

Mas quanto vale viver o sonho do outro? As expectativas, frustrações do outro? Será que não é melhor irmos em busca do caminho que nos traga felicidade? Será que é tão difícil fazer escolhas ou temos medo de deixar que todos os demônios saiam e o mundo nos veja como somos?

Todos nós queremos ser alguém, mas temos medo de descobrir que não somos tão bons quanto todo mundo imagina que somos.

Segundo a lógica da nossa sociedade, as meninas nasceram para serem donas de casa, para se casarem, terem filhos e cuidarem do lar. Mas e se eu não quiser isso para minha vida? E se eu não quiser ouvir minha família a cada almoço de domingo me perguntar quando vou namorar, casar, ter filhos? As expectativas muitas vezes são dos outros, não nossas. Quero poder viver minhas escolhas, sejam elas quais forem. Quero rodar o mundo, quero encontrar amores, quero viver todas as experiências que a vida me proporcionar.. E se no começo, no meio ou no fim dessa estrada eu encontrar alguém pra caminhar comigo, que seja! O que importa é que estarei certa que trilhei meu caminho, que segui os passos que eu mesma criei. A vida é curta e por mais que saibamos isso, só percebemos o quanto ela passa rápido quando alguém se vai, quando fica um vazio e um medinho lá no fundo de não conseguir realizar tudo que se deseja. Portanto, eu deixo esse conselho pra todos, inclusive pra mim:

PREENCHA-SE. TRANSBORDE. LIBERTE SUAS ASAS.

Porque no fim só restará a lembrança que você imprimiu no mundo!!!!!

 “Você pode achar que quer ser salva por outra pessoa, ou que quer muito salvar alguém. Mas ninguém pode salvar ninguém, não de verdade. Não de si mesmo.”