Feliz nosso dia!

Ontem. Hoje. Amanhã. Sempre. Todo dia. Toda hora. Todos os momentos. O tempo que for.

De roupa. Sem roupa. De casaco. De calça. De sainha. De vestido. De shortinho. De burca. De biquíni. Do jeito que quiser.

Em casa. Na rua. No shopping. Na obra. Na praia. No lugar que estiver.

No estádio. Na passarela. Na televisão. Na obra. Na faculdade. No escritório. Na profissão que escolher.

No respeito. No cuidado. No carinho. No afago. No amor. O melhor que merecem ter.

Feliz todo dia. Feliz toda vida. Feliz mulher!

dia-internacional-da-mulher

Recomeços


Temos o costume de buscar explicações, ou culpados, para tudo o que nos acontece. Idealizamos nosso futuro, e quando ele não corresponde a nossa expectativa, dificilmente nos culpamos. Esquecemos que quase tudo é reflexo de nossas escolhas, normalmente pequenas, mas nossas escolhas.
Claro que determinadas situações fogem do nosso controle e são inevitáveis, por isso é muito desgastante pensar que uma cadeia de acontecimentos pode ter se iniciado porque simplesmente saímos para comprar pão.
Às vezes as grandes mudanças devem-se a uma única decisão, como a escolha do que cursar na faculdade. Então, quando as coisas dão errado normalmente seguimos por dois caminhos: ou enlouquecemos nos culpando por tudo ou culpamos tudo e todos pelas injustiças da vida, menos nós mesmos.
O grande segredo é encontrar o equilíbrio entre esses dois extremos. É importante enxergamos que existem coisas que estão fora do nosso alcance, e quando conseguimos compreendê-las, a única coisa que temos controle é sobre nossa atitude perante esses acontecimentos.
No entanto, mais importante ainda é reconhecer aquilo que é nossa responsabilidade e, mais ainda, saber que nunca é tarde para mudar, sem culpar-nos pelos erros cometidos, pois todos cometem.

Afinal, a vida é assim: cheia de alegrias, tristezas, gostos, desgostos, surpresas e decepções. Cada dia aprendemos uma nova lição, que vem fazer companhia para nossa bagagem repleta de memórias, as quais vão nos modificando, talvez até nos tornando mais duros com a humanidade.

A paciência diminui, a ansiedade também. A vontade de lutar pelo que se quer, ou se acha que quer, a qualquer custo, fica um pouco diferente, mais racional diremos. Afinal, depois de tantas quedas, é natural que coloquemos os pés no chão. Aprendemos a enxergar a realidade, que tanto escondem das crianças e que tanto os jovens fingem não existir.
E nessa de enxergar a dura e fria realidade percebi que eu estava envelhecendo. Foi na primeira vez que pensei: ah se eu pudesse voltar no tempo, teria feito tudo diferente. E esse pensamento volta e meia me visita. A verdade é que nada acontece da maneira que sonhamos, que idealizamos. Não que a realidade seja sempre ruim, mas ela normalmente é bem menos graciosa, com um toque de imperfeição, como tudo na vida.
O bom é que, às vezes, somos surpreendidos com coisas maravilhosas, que nem imaginamos. Então seguimos, escrevendo nossa história, fazendo o melhor que podemos, e torcendo para que um ou outro capítulo seja repleto de surpresas boas.

Planejando sua viagem

Tá afim de fazer aquela viagem e não sabe por onde começar?

Então chega aqui que vou tentar ajudar.

 

Existem vários fatores que influenciam, e muito, na hora de planejar uma viagem. Com isso, acaba sendo um pouco perigoso seguir à risca roteiros prontos. 

 

Apesar de já ter trabalhado em uma agência de viagens, não foi nesse período que eu aprendi a planejar uma viagem. Eu só fui aprender mesmo quando tive a oportunidade de fazer minha primeira viagem internacional, depois de velha, e que não poderia ser outro destino senão a Disney (sonho frustrado da adolescência).

 

Não quero fazer campanha contra os agentes de viagem, afinal, existem excelentes profissionais nessa área. Mas eu acho tão gostoso esse período antes da viagem e tão gratificante fazer tudo do nosso jeitinho, que resolvi dar umas dicas para quem ainda se sente meio confuso com tanta informação.

 

 

Primeiro passo é definir o seu perfil de viajante. Há muita informação na internet, e atualmente é possível encontrar dicas de praticamente todos os lugares do mundo, mas muitas dessas informações não irão se aplicar a você, por isso é preciso ter cautela na hora de seguir conselhos (mesmo de sites famosos) sem pesquisar muito.

 

Quer um exemplo? Há pouco tempo fiz uma Road trip pela Califórnia e quase todos os relatos que li (e não foram poucos) diziam para ficar, no mínimo, 5 dias em São Francisco. Pois bem, fiquei 6 dias e quase morri de tédio (um dia eu conto o porquê). A questão é que as pessoas são diferentes e possuem realidades diferentes, por isso a viagem será diferente, portanto, é preciso adaptar as dicas às suas preferências.

 

Definindo alguns pontos:

1 – Quero gastar meu dinheiro com o que? Hospedagem, restaurantes, passeios, compras?

Poucos são os abençoados que podem gastar muito com todas as opções, portanto, nós, meros mortais, temos que estabelecer prioridades. Feito isso, pesquise muito para economizar no que não te interessa tanto.

 

2 – Quais os tipos de passeios que eu gosto mais?

Esse é um ponto muito importante, pois os destinos possuem diversas opções, mas nem tudo se encaixará no seu perfil. É normal viajarmos com dinheiro e tempo contados, por isso, não precisa sair visitando todos os lugares que indicaram. Reflita se realmente é do seu interesse.

 

3 – Quanto tempo tenho disponível?

Essa pergunta é para aquelas viagens com diversos destinos. É importante ter em mente que às vezes é mais interessante ficar mais tempo em uma cidade e deixar de conhecer outra, do que passar por elas correndo, pois no fim, acaba-se não conhecendo nenhuma delas direito.

 

4 – Quem está viajando comigo?

O mais complicado. Seus companheiros de viagem. Tenha em mente que quanto maior o grupo, mais difícil será planejar (diante de tantas opiniões diferentes) e mais conflitos irão ocorrer. Aqui, a dica é relaxar e aproveitar as companhias, pois viajar com amigos ou família, ou os dois, é muito bom.

 

Feito tudo isso, chegou a hora de passar muito tempo pesquisando, isso significa ler MUITO.

  • Entra no Google e se joga;
  • Leia blogs de viagens, mas leia, principalmente, relatos de pessoas em fóruns de viagens; 
  • Copie tudo que encontrar de relevante, tudo. Crie um documento no Word e vai juntando todas as informações;
  • Organize as dicas que anotou, separando por categorias, como: hotéis, passeios, restaurantes, clima, lojas, dicas gerais, etc. Eu sou a louca das tabelas, faço para tudo.
  • Agora é hora de fazer as reservas. Aqui, uma dica importante: leia as avaliações dos hotéis, mas não se assuste com os comentários negativos, todos os hotéis que fui tinham comentários como esses, mas quase sempre fiz boas escolhas. Ocorre aquela mania do ser humano de só se manifestar quando algo ruim acontece, então quando tudo é perfeito, quase ninguém se preocupa em elogiar (eu faço isso também, sei que estou errada).

 

Alguns sites que uso muito (sei que a maioria é bem famoso):

Para planejar:

www.melhoresdestinos.com.br (Promoções maravilhosas)

www.mochileiros.com (excelente)

www.viajandoparaorlando.com (muitas dicas da Califórnia e Nevada, além de Orlando, claro)

www.viajandoparanovaiorque.com.br

 

Para reservar:

www.hoteis.com

www.tripadvisor.com.br

www.decolar.com

www.hotelurbano.com

Sites das companhias aéreas (sempre melhor do que intermediários)

www.mondialtravel.com.br – Sempre contrate um seguro-saúde, não é caro e vale a pena, esse eu já usei duas vezes e foi ótimo. Preço e atendimento bons.

 

Depois é só esperar a tão sonhada viagem e curtir muito cada momento. Para mim tem um gostinho especial quando foi feita pela gente e para a gente.